sábado, 4 de outubro de 2014

Perdida - Carina Rissi

Título: Perdida
Autor: Carina Rissi
Editora: Verus
Páginas: 362

"– Hã… Será que você poderia me ajudar? Estou meio… perdida. – Um riso nervoso escapou dos meus lábios.
– Perdida? – Ela não pareceu nada surpresa.
– É. Eu estou num lugar muito estranho onde… onde… – Era difícil dizer em voz alta. Tomei fôlego. – Onde algumas pessoas pensam ser o século dezenove. – Ri nervosa outra vez. – Dá pra acreditar?
– Claro que dá! E você não está perdida. Está exatamente onde deveria estar."



Perdida




O que dizer de um presente tão maravilhoso quanto esse livro?
Ganhei esse romance da minha amiga Adriana e procrastinei um pouco para lê-lo, mas assim que peguei e comecei, descobri que esse é um livro impossível de largar.

A história começa com a Sofia. Ela trabalha numa empresa, com um chefe hiperchato que não dá muito valor ao seu trabalho, apesar de ela ser a melhor no que faz. Para sair do estresse, Sofia sai com sua melhor amiga, Nina. No bar, o Oca, a amiga conta que ela e o noivo pretendem formalizar o relacionamento. Sofia, como boa amiga que é não entende porque ela quer se casar com um cara como Rafael, um riquinho mimado que nem a trata tão bem, como Sofia acha que ela merece. Sofia não acredita no amor.

Enfim, lá ela bebe todas e precisa usar o banheiro, acaba deixando o celular cair na privada. No outro dia se dá conta do que houve e corre para uma loja para comprar um novo, afinal, não pode viver sem tecnologia. Lá ela conhece uma vendedora muito estranha que lhe vende um celular maravilhoso com direito a tudo que um bom celular deve ter. Sofia sai da loja encantada, ansiosa para experimentá-lo. Todavia, ao tentar usar o monstrinho, o danado simplesmente não liga. Até que de repente, um clarão, e Sofia reaparece em outro século.

No início, ela não se dá conta do que houve. É encontrada por um homem estranho que veste roupas estranhas! Ian Clarck, um cavalheiro muito educado, que, vendo sua situação, não hesita em ajudá-la. Como haveria de ser uma garota do século XXI, Sofia desconfia de tanta generosidade e fica muito confusa com o cenário no qual se encontra. Como assim carruagem?!

Com dificuldade, Ian consegue persuadi-la a ir com ele para sua casa. Lá ela é tratada com muito carinho por ele e pela irmã Elisa, que lhe empresta vestidos adequados , já que o que ela está usando é terrivelmente escandaloso para época.

Mesmo com todos os sinais, Sofia ainda desacredita que algo como aquilo possa estar acontecendo com ela. Recebe então uma ligação da misteriosa vendedora que lhe diz que ela só saíra de lá quando encontrar o que estava procurando.

Sofia acaba tendo que se virar e logo começa uma busca para descobrir como voltar para casa. Contudo, ela só não contava que pudesse se apaixonar nessa jornada o que acaba complicando ainda mais as coisas.

O que achei do livro


O livro é realmente muito divertido, a Sofia é uma personagem extremamente engraçada, logo no início você chora de rir com as maneiras dela. E o que dizer do banheiro? E do alface? A maneira como vira e mexe ela fala gírias e todos ficam com cara de “hã?” como se ela fosse de outro mundo (tá ela é do século XXI, mas ainda é do nosso planeta!). O modo liberal como ela se expressa deixando o pobre do Ian corado. Não tem como não amar a Sofia.

O Ian também é encantador, um cavalheiro, muito gentil e compreensivo. Está o tempo todo ajudando-a, mesmo sabendo que ela pode, de certo modo, partir seu coração já que não pode ficar e insisti em voltar.

O cenário também é demais, confesso que estranhei muito ela ter deixado a questão histórica da escravidão de lado, pois os personagens e toda a situação é muito europeia, no início nem achei que a história se passasse no Brasil. Porém, no final do livro, ela explica o porquê. Além do mais, é ficção e se ela pôde mudar esse passado feio que foi a escravidão, mesmo que de mentirinha, está mais que apoiado.

Esse livro é fantástico e vale a pena ser lido. Vai fazer você sorrir e se emocionar. Eu recomendo.

[CUIDADO COM O SPOILER]

Separei um trecho lindo do livro. Nessa cena Ian se declara para Sofia. É de fazer suspirar!!!

“— Sinto que posso... Flutuar quando estou com você, como se fosse capaz de realmente voar! Sinto-me completo pela primeira vez, Sofia. Há uma força em você que me atrai, que me arrasta para perto, uma força inexplicável que turva meus pensamentos. Não consigo pensar em nada mais, apenas em como seria tocar seu cabelo... — ele afrouxou meu pulso e delicadamente deslizou os dedos em uma mecha perto do meu rosto. — Segurar sua mão... — segurou minha mão por um momento,
depois a colocou sobre o peito, sobre seu coração. — Sinta o que acontece com meu coração quando estou com você. — batia forte e rápido, assim como o meu. Eu lutava para respirar.
— E quando não estou com você, meu peito fica vazio, como se meu coração se
recusasse a bater até que lhe encontre novamente. Sinta! Ele diz Sofia, Sofia, Sofia! Tem sido assim desde a primeira vez que a vi. Desde aquele instante percebi que não era mais dono do meu coração, que ele não me pertencia mais. Então — ele tocou meu rosto, deslizou os dedos por meu pescoço e acabou os prendendo em minha nuca.
—Não diga que não existe “nós”!”


Nenhum comentário:

Postar um comentário